segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Sublime Pardal

Arranhe meu corpo
Arranque meu sangue com suas mãos
Nada doerá mais que essa solidão

Arranque de mim essa dor imensa
Me faça esquecer todo esse pesadelo
Passos largos me alcançam
Eu nunca mais poderei vê-lo

Para onde me levam?
Não me deixem morrer nesse calabouço
As paredes do meu quarto me cercam
Não mais te ouço

Meus ouvidos sangram
Meus olhos nada mais vêem
Minhas mãos não podem te sentir
Será mesmo que estás aqui?

Meu coração aos poucos pára
Meu corpo frio desfalece
É o paraíso ora me parece
Quero em campos verdes repousar
Voar, na grama brincar,
Como criança, sonhar
Voltar a sorrir e a amar...
Nada mais me parece tão belo como o nascer de um novo dia...

Fernanda Montanaro

4 comentários:

bryan_freitas disse...

Parece até que foi escrita para este dia em que minha vózinha nos deixa com saudades...

poesia linda e perfeita amor, como sempre!


amo vc
e obrigado pelas palavras
e estar sempre ao meu lado quando mais preciso

um abraço bem forte e gostoso
bjos

Bruna disse...

nossaaaa... está perfeita
gostei mt,mt,mt,mt, meeesmo!
Vc alcança a intensidade nas palavras q eu tinha aos 15 rs... beijoos

BiaFreitas disse...

Bastante intensa , gostei muito !
Continue com esta arte !!!

Bjos querida !

Nanda Montanaro disse...

Obrigada a todos pelos comentários *-*

Fico mto feliz q tenham gostado tanto *-*

Beijos enormes a todos

ps.: Realmente amor, combinou bastante com esse triste ocorrido =\

mas espero q ela esteja bem e feliz onde ela está agora =]


Amo vc

Postar um comentário